0

O Que É A Sensibilidade Dental?

O que quer dizer ter dentes sensíveis?

A sensibilidade dentária é a dor causada pela exposição dos tubos dentinários. A causa mais comum desta sensibilidade na pessoa adulta é a exposição da raiz dos dentes na área cervical, ou colo, devido à retração gengival. Como a raiz não está coberta pelo esmalte, milhares de canalículos que vão do centro do dente e levam o feixe nervoso da polpa até a superfície ficam expostos e acusam a dor. Quando o calor, frio ou pressão afeta esses canalículos, você sente dor. Ignorar os dentes sensíveis pode levar a outros problemas de saúde bucal. Especialmente se a dor fizer com que você não escove bem seus dentes, tornando-os vulneráveis à cárie e doenças gengivais.

Como saber se meus dentes são sensíveis?
Se você sentir uma sensação dolorosa em seus dentes após tomar bebidas ou comer comidas quentes ou frias, seus dentes são sensíveis. Mas não é só você que sente isto. É um problema que afeta um em cada quatro adultos, às vezes de forma não permanente.

Como tratar dentes sensíveis?
Em primeiro lugar, fale com seu dentista. A sensibilidade dos dentes geralmente pode ser tratada e curada. Seu dentista pode prescrever flúor em gel ou um enxagüante bucal com flúor. Você também pode tentar cremes dentais de baixa abrasividade com formulações feitas especialmente para dentes sensíveis. Pergunte ao seu dentista quais são os produtos mais adequados para o seu problema de sensibilidade. Tenha cuidado com a escovação e evite que seus dentes se desgastem ainda mais. Uma escovação muito forte, uma prótese parcial com grampos e aparelhos muito apertados e justos podem também levar à abrasão.

0

O cuidado com o coração começa pela boca!

 


Higiene bucal pod
e ser grande aliada da saúde do coração, diz especialista

Os cuidados com a higiene bucal vão muito além de um belo sorriso e de um hálito fresco. Muitos não sabem, mas há diversas pesquisas que mostram a ligação de uma má higiene bucal com doenças do coração.

As bactérias como as da bolsa periodontal migram por bacteremia, ou seja, entram na corrente sanguínea através da boca e vão para o coração; explica a Drª. Rosa Yana, Mestre em Odontologia pela Universidade Cruzeiro do Sul de São Paulo. Lá, proliferam-se e podem vir a ocasionar diversas doenças cardíacas, desde arritmia até endocardite bacteriana.

O Instituto do Coração (Incor) realizou uma pesquisa em São Paulo e constatou que 45% das doenças cardíacas tinham origem na cavidade bucal, devido a caries profundas com comprometimento do canal, gengivas inflamadas, restos de dente e abscessos.

Para manter uma boca saudável é necessário escovar bem os dentes no mínimo três vezes ao dia, principalmente após as principais refeições, fazer uso do fio dental e quando indicado, de enxaguatórios bucais. Também é fundamental ir regularmente ao dentista.

“As visitas periódicas são importantes para todos, principalmente para cardiopatas, diabéticos, hipertensos e imunossuprimidos”, alerta Drª. Rosa Yana.

Fonte: O dia

0

As fases de crescimento dos dentes

Veja a idade em que cada dentinho crescerá e o que observar.

É importante que os pais saibam que os dentes começam a se formar já no útero materno, inclusive os permanentes, e continuam sua formação após o nascimento da criança. Segundo o Dr. Fausto Medeiros Mendes, professor de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da USP, isso significa que uma infecção durante a gestação ou no primeiro ano de vida da criança pode causar um defeito de formação nos dentes de leite ou permanentes.

Nem toda criança que tem uma infecção terá um defeito de formação, mas o risco é aumentado. “Esse problema de formação dos dentes geralmente não é grave, mas a mãe deve ficar atenta porque isso pode aumentar a chance daquele dente ter cárie ou sensibilidade a doces e ao frio”, diz o professor. Por isso qualquer problema durante a gestação ou no primeiro ano de vida da criança deve ser relatado ao dentista.

As mães também devem lembrar que a amamentação natural, ou seja, no peito, durante o primeiro ano de vida é fundamental para a prevenção de muitas das más oclusões. Além da importância afetiva e nutricional, o exercício muscular durante a sucção no seio favorece a respiração nasal e previne grande e parte dos problemas de posicionamento incorreto dos dentes e das estruturas faciais.

O Dr. Fausto explica que os dentes de leite anteriores nascem entre seis e 12 meses de vida, e entre 18 e 36 meses nascem os dentes de leite posteriores. Essa fase é o da dentição decídua, onde apenas dentes de leite estão presentes na boca. Esses dentes de leite vão começar a cair por volta dos seis anos de idade, e os dentes permanentes anteriores vão nascer no lugar.

Por volta dos 6 anos, é importante a mãe ficar atenta ao aparecimento do primeiro molar permanente que nasce atrás dos molares decíduos, sem que nenhum dente de leite caia. Esse dente é muito suscetível ao desenvolvimento de cárie. Essa troca de dentes de leite por dentes permanentes vai ocorrer até por volta dos 11 anos. Nessa fase em que estão presentes na boca tanto dentes de leite como dentes permanentes é chamada de dentição mista.

Por volta dos 12 anos, os últimos dentes de leite caem, nascem os permanentes no lugar e também nasce o segundo molar permanente, atrás do primeiro molar permanente. Esse dente também nasce sem que um dente de leite caia. Quando não tiverem mais dentes de leite na boca, a fase é chamada de dentição permanente. Essa fase só irá se completar por volta dos 18 anos quando aparecerem na cavidade bucal os terceiros molares permanentes, também conhecidos como dentes do siso ou dentes do juízo.

Fases de crescimento dos dentes de leite - foto: zozain greetings/ShutterStock.com

Fonte: Guia do Bebê Uol

0

8 dicas para proteger seus lábios no inverno!

1.Beba muita água
Durante o inverno é normal ingerirmos menos água porque sentimos menos calor, mas isso colabora com a desidratação dos lábios. Por isso, se force a se hidratar mais mesmo que esteja sem sede, seus lábios vão agradecer.
2.Nada de passar a língua nos lábios
Na tentativa de umedecer os lábios e aliviar o ressecamento, é comum as pessoas passarem a língua sobre eles. “A saliva realmente vai aliviar o desconforto nos primeiros momentos, mas vai piorar a situação ao longo do tempo. Caso as fissuras permaneçam por mais de 7 dias, consulte seu dentista ou seu médico, pois o uso de medicamentos a base de antifúngicos e anti-inflamatórios pode ser necessário”, diz Celso Lemos, cirurgião-dentista especializado em Estomatologia.
3.Evite algumas comidas
Se você já apresenta um ressecamento dos lábios, evite comer comidas muito quentes, salgadas ou apimentadas, isso vai irritar ainda mais a superfície labial e piorar os sintomas.
4.Protetor labial sempre!
Hidrate seus lábios antes mesmo dos primeiros sinais de ressecamento aparecerem. “A melhor maneira de hidratar os lábios é com o uso de protetores labiais com filtro solar (os mesmo usados no verão, fator 15) a base de vaselina ou cera de abelha. Sempre que possível evite protetores labiais com cor ou fragrâncias. Passe-o a cada hora, principalmente quando o lábio estiver exposto a baixas temperaturas”, diz o especialista.
5.Evite o vento e se proteja
Sim, parece uma dica muito radical e quase impossível de ser obedecida, mas é importante. “Na medida do possível evite se expor muito tempo ao vento durante os dias mais frios. E onde a temperatura atinge zero grau com facilidade, vista roupas que cubram os lábios e abuse dos cachecóis para se proteger”, diz Celso.
6.Narinas sempre limpas
Manter as vias nasais limpas facilitam a respiração nasal e evita que você se torne um respirador bucal. “Respirar pela boca piora bastante o ressecamento labial. Para evitar que isso aconteça, pingue gotas de soro fisiológico no nariz antes de sair de casa. Caso você já esteja com as vias nasais congestionadas, se prepare, o ressecamento labial vai ser mais intenso”, diz o dentista.
7.Umidade dentro de casa
Mantenha a umidade dentro de casa entre 30 e 50%, isso vai colaborar com a hidratação da pele e dos lábios. “Para isso use aparelhos específicos ou mantenha uma bacia com água no ambiente, especialmente se estiver utilizando algum tipo de aquecimento”, diz Celso.
8.Procure um dentista
Se nenhuma das dicas acima funcionar, é melhor você procurar um especialista. “Lembre-se, feridas ou fissuras que permaneçam por mais de 15 dias devem ser examinadas pelo dentista ou médico, pois o câncer de lábio pode muitas vezes parecer um simples ressecamento”, diz Celso.

FONTE: https://goo.gl/2oCxzq

 

0

Xô mau hálito! Entenda como resolver esse problema!

Se você realmente deseja saber a causa de seu mau hálito, marque uma consulta com o dentista. Com uma avaliação de seu histórico médico e dentário e um exame bucal criterioso, seu dentista poderá identificar os responsáveis pelo mau hálito. As causas variam e entre elas podem estar certos alimentos, a ingestão de bebidas alcoólicas, o fumo, a má higiene bucal, doenças periodontais, o diabetes, a sensação de boca seca, infecções dos seios (maxilares/paranasais), da garganta e do pulmão, e também o abscesso pulmonar, insuficiência renal ou hepática, problemas gastrointestinais e um regime alimentar severo.

Tratamento do mau hálito

É importante fazer uma higiene bucal completa, em casa, três vezes por dia, escovando os dentes com um creme dental antibacteriano com flúor, usar o fio dental para remover restos alimentares e a placa bacteriana dos dentes e próteses, escovar a língua para eliminar as bactérias causadoras do mau hálito e finalizar com o uso de um antisséptico bucal com flúor. Um estudo publicado mostra que a escovação dos dentes e da língua, combinada com o uso do fio dental, diminui significativamente o sangramento do tecido gengival em um período de duas semanas, além de reduzir também o mau hálito1. Outro estudo clínico realizado pelos pesquisadores da área odontológica da Universidade de Buffalo confirmou que a escovação dos dentes e da língua, três vezes ao dia, com um creme dental antibacteriano com flúor, combinada com o uso do fio dental, pode eliminar o mau hálito2

A limpeza da língua é muito importante. Você pode comprar uma escova dental Colgate 360 com limpador de língua para manter a higiene bucal. Depois de escovar os dentes com um creme dental antibacteriano com flúor, vire a escova e coloque o limpador de língua, localizado no dorso da cabeça da escova, na parte posterior da língua, puxando-o para a frente. Depois de raspar uma porção da língua, enxágue a boca com água para remover as bactérias causadoras do mau hálito. Em seguida, repita a operação na porção adjacente da língua.

Antes de escolher os produtos de higiene bucal que ajudam a eliminar a placa bacteriana e as bactérias causadoras do mau hálito, consulte seu dentista e reveja as técnicas a serem utilizadas em casa. Além disso, pergunte ao dentista quais produtos de higiene bucal você poderia usar para ajudar a combater o mau hálito (creme dental antibacteriano com fluor, enxaguante bucal, raspadores de língua e escovas interdentais).

O segredo de uma boca limpa e saudável é a higiene bucal feita em casa regularmente de acordo com as instruções e recomendações do dentista.

Derechos de autor© 2009, Colgate-Palmolive Company

Página 1 de 84123Última